domingo, abril 16, 2017

Conversas banais

Fomos hoje a Corroios...Aquela terra magnifica...Dois Martinis com cerveja e a bomba...O xxxx convidou-me para os anos mas não pode ir....Bomba mesmo...Pensei, nem sabia que já estava em Portugal.Quanto mais, fazer festa de anos....
Longe de ser o melhor o exemplo, de camaradagem, mas hoje, bateu forte...
O resto da conversa, continuou com o passado. Com as palhaçadas de antigamente.
Bateu forte, novamente...
Passei o dia a pensar nisto...
Estarei certo, em não voltar atrás?! Em não querer falar, com quem não me fala?! Ego?! Orgulho?!Não sei...
O certo, ou errado, é que mantenho contacto, com quem ainda me procurou...egoísmo...
Centrado em mim...
Quem me quer, procura-me...
Na realidade, ainda vou, aos mesmos sítios, onde ia...
O lugar não mudou, o tempo e as pessoas, sim...
Fiquei magoado, sentido...a pensar...
Perdi assim tanto?! Mudei assim tanto?!
Sem conclusão nenhuma...Apenas me sinto magoado...Posto de lado, quando eu me coloquei...
Ou fui colocado...Já não sei...

segunda-feira, dezembro 12, 2016

O tempo

O tempo não pára nem perdoa...Não tem sido fácil tomar consciência do tempo que já passou e do que fica perdido lá bem ao fundo...
Tento tomar um caminho,ainda por percorrer e esquecer-me do que queria andar...O tempo não perdoa,agora é tempo de crescermos juntos...

sexta-feira, setembro 09, 2016

Escrever

Apetece-me escrever...Desabafo?! Sim...Escrever, sobre o quê?!
As coisas mudam...De repente vejo-me a braços com uma família. Vida a três, quatro, cinco, seis...
Contando com os cães...
A inércia continua, as desculpas também..Os motivos para mudar poucos. O conformismo e o facilitar continua a reinar.
Os dias passam, perenes e imutáveis...
Cada vez mais velho e conformado com a falta de grandiosidade que algum dia sonhei em ter...Sim, sonhei, todos sonhamos, até acordarmos para a realidade que nos começa a acompanhar, quando o conformismo se instala.
Apetece-me escrever, mas as letras falham... O pensamento falha...A lógica falha...A realidade não...E a realidade é que não fui talhado para escrever...

quarta-feira, maio 27, 2015

Flashbacks, flashbacks...Go way!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, agosto 14, 2013

It's been wroten

"Realmente há coisas... Eu a "falar" no voltar a escrever, depois de mo teres dito e quando chego aqui deparo-me com este post...
Acho que andamos todos com saudades dos tempos altos da blgosfera. Quando realmente senti que existiu ali uma união coesa e se liam boas palavras por aí. Não que agora não se leiam, mas sei lá, foi uma época diferente... Beijinhos. MeiaLua"

Tinha este comentário no meu ultimo post. (será assim que se diz?!) Muito feliz fiquei, por quem o escreveu, ainda continuar a seguir, não  só aqui, mas noutro meio social, mais "evoluido".
Houve uma altura alta, nesta forma de comunicar, todos os que se pensavam, escritores, poetas, ou com algum jeito para a escrita debitavam umas linhas e colocavam-se uns comentários noutros e assim nasceram alguns conhecimentos. Foi uma altura em que apenas olhavámos para a frente, não sentiamos obstaculos nem barreiras para a escrita. Escrevia-se, para duas ou três pessoas sem pensar que o mundo inteiro poderia ler. Só não se conquistava o que não se queria...

Agora, que voltas deu a vida, o que foi feito?!
Eu aqui continuo, o discurso, quase sempre o mesmo...
Uns casaram, outros tiveram filhos, outros ainda emigraram e largaram tudo.
Mas, o que é certo, os blogues continuam e vão continuar.

sexta-feira, julho 12, 2013

Lamechómelancólica

Hoje, noutro ambiente virtual, que é assim que mais vivemos, uma antiga amiga, virtual escrevia que estava assim que para o lamechómelancólica e colocava uma música...
Pensava eu que era por causa da filha, que o tempo passa, nem se nota e que continuamos na mesma sem evoluir.
Ao chegar a este ponto, eu próprio fiquei lamechómelancólico, o que já é normal.
Chegar a uma certa idade e ver o que conseguimos, onde chegamos e que muito dificilmente iremos conseguir mais e conformarmos com o que temos...
Para mim não dá...
Seguindo o que disse a essa amiga "virtual" vim eu fazer o que lhe tinha dito. Escrever, voltar a este espaço, sem ter a certeza de que alguém lê, o que aqui se coloca...
Passa o tempo, nada muda  e segundo muita boa gente que conheço, deveria de estar feliz por ter o que tenho. O que a meu ver é nada...
Também me diziam que quem poucos bem materiais deseja, mais perto de Deus está...O Vaticano e a sua seita, não são um bom exemplo desta ultima linha..
Não me consigo conformar com o que tenho, ambiciono mais...
Se o vou conseguir?! Só eu saberei...  

quinta-feira, junho 06, 2013

No outro dia, lembrava-me de uma frase. Não sei se a ouvi num filme, se a li num livro, ou se apenas soube bem pensar nela, como alguma justificativa para o que acontece, comigo, neste momento...
 - Tornamo-nos escravos das nossas próprias decisões

Frase simples e tão qualificável do que me persegue e sinto entretanto.